Anfíbios

suzy

Fêmea de Rhinella icterica

Sapo cururu na beira do rio…
Amphibia que significa “duas vidas” ou “vida dupla”, é uma classe de animais em que a maioria de suas espécies sofre um processo chamado de metamorfose, ou seja, os anfíbios têm vida parte aquática e parte terrestre, mas sempre dependentes da água. Sua pele não possui qualquer tipo de proteção e em um ambiente seco o animal morre desidratado. Seus ovos, com alguma exceções, são sempre depositados na água, originando os girinos. Nesta fase larval, os animais são desprovidos de patas e possuem brânquias para respirar. Quando adultos possuem membros e pulmões para viverem em ambiente terrestre. Os anfíbios são formados por três ordens:

1-) ANUROS
Sapos têm pele mais áspera e com glândulas parotoides – que excretam veneno. Vivem debaixo de troncos, pedras, folhagens ou enterrados na terra. A espécie brasileira mais comum é o sapo cururu (Rhinella icterica).

lithobates-catesbeianus2

L. castebeianus

Rãs possuem pele bem lisa, vivem muito próximas ou dentro da água. Como exemplo, tem-se a rã touro americana (Lithobates castebeianus), antes denominada  Rana castebeiana, uma espécie nativa da América do Norte e usada na culinária. Devido à ação humana, essa rã  tem sido distribuída no mundo todo e é considerada uma espécie invasora da nossa fauna.

Pererecas, de pele também lisa e com ventosas nas patas – denominadas de  “discos adesivos” -são usadas para escalar árvores e pedras altas. Minúscula, a Hyla leucophyllata da América do Sul, pode ser encontrada escondida em bromélias. Outra espécie de perereca interessante é a Kambô (Phylomedusa bicolor), famosa por fornecer a toxina para produzir a “vacina do sapo”.

kambo-phyllomedusa_bicolor

P. bicolor

bolito

B. paraensis

2-) URODELOS  ou CAUDATAS:  são os anfíbios com cauda, de corpo alongado, e quatro membros, representados pelas  salamandras que vivem tanto em árvores, como em cavidades do solo ou totalmente submersas na água. São mais comuns no hemisfério norte. No Brasil podemos encontrar cinco espécies de salamandras:  Bolitoglossus paraensis, Bolitoglosa altamazonica, Bolitoglossa tapajonica, Bolitoglossa caldwellae e Bolitoglossa madeira todas registradas no estado do Amazonas.

cobra-4

Cecília (Siphonops annulatus) e filhotes

3-) ÁPODOS: são anfíbios de corpo alongado que não possuem membros e que se assemelham às serpentes. São as Gimnophionas, chamadas popularmente de  cecílias ou cobra-cegas* devido aos seus olhos pouco desenvolvidos, por se tratar de uma espécie fossorial (que vive debaixo da terra). A espécie brasileira  Siphonops annulatus é bastante curiosa, pois seus filhotes alimentam-se da pele de sua mãe.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s